Cícero Alves dos Santos (Véio)

Nossa Senhora da Glória – SE | 1947

Véio começou a se destacar aos 5 anos de idade, quando parava para admirar as pessoas
idosas contando historias e lendas da época, ganhou o apelido de Véio por sempre estar
entre essas pessoas e a partir daí começou a criar um mundo só seu, primeiro em cera de
abelha, depois dando vida as madeiras mortas…e assim foi surgindo seu mundo tão
particular.

Cada peça é uma inspiração e elas são como as pessoas…nascem e depois
saem de cena, porque a arte também é vida. Quem passa pelo seu sitio se depara com
um cenário curioso formado por esculturas em madeira bruta que representam
manifestações socioculturais criadas no que ele costuma chamar de ‘Universo
Simbólico de Véio.